Vício em jogos de azar: isso existe ou é mentira que inventaram? Descubra aqui

por Tauama de Moraes
CRP 11 - 07100

Vicio em jogos de azar não é só trama de novela, é uma dependência real e precisa ser discutida e desmitificada. Confira aqui o que precisa saber sobre isso.

O que são jogos de azar?

Resumidamente, os jogos de azar são aqueles em que precisa contar com a sorte para ganhar. Alguns exemplos são: máquinas caça niqueis, jogos eletrônicos, bingo e com carta de baralho.

Qualquer jogo que não envolva habilidades próprias para ganhar e sim sorte, por exemplo, receber a carta certa, a pedra certa ser chamada ou a aleatoriedade de uma máquina, é considerado jogo de azar.

Por que jogos de azar viciam?

Se você já participou de algum jogo, deve se lembrar da emoção que sentiu enquanto esperava a carta ser recebida e a euforia de ganhar. O quanto se sentiu bem por ser agraciado com um pouco de sorte naquele momento.

Aqui na Casa Despertar já falamos muitas vezes sobre como a dependência funciona no nosso organismo. Com os jogos podem acontecer a mesma coisa, afinal, com menor intensidade, ou não, o mesmo sistema é ativado nessas liberações de prazer.

Nosso corpo, normalmente, consegue controlar e se regular nesses picos de liberação de hormônios, por exemplo, cortisol e adrenalina, liberando substâncias como citocina e dopamina. Assim, sendo capaz de sair de um estado ruim para um estado de saúde.

Imagine que uma pessoa fica muito tensa e estressada esperando o resultado do jogo (adrenalina e cortisol), então quando ela recebe o resultado de que ganhou, ou mesmo, quando perde, as substâncias (dopamina e citocina) são liberadas pelas emoções ou para controlar essa alta liberação.

Imagine que o seu corpo pensa:

Se eu consigo ter essa sensação jogando e me sinto melhor, vou jogar mais.

Dependência em jogos de azar

Muitas pessoas não pensam sobre dependência de jogos, já que a dependência química é muito mais avassaladora na sociedade, afinal vemos nas ruas e avenidas da maioria das cidades.

Além disso, não é muito comum que as pessoas saibam que esses jogos podem viciar, ou mesmo, que achem que aquele amigo que joga quase todos os dias não tem vivido nada de mais. Afinal, esses jogos são jogados para diversão.

No entanto, o vício em jogos de azar é sim, algo a se preocupar.

Embora em quantidade bem menor do que a dependência química, a própria OMS (Organização Mundial da Saúde) classificou o jogo compulsivo como uma doença, ao lado da dependência de álcool. Chama-se Transtorno do jogo.

Como saber se é vício ou diversão?

A Universidade de São Paulo (USP) fez um levantamento no departamento de psiquiatria e o Brasil possui uma média de 2 milhões de viciados em jogos, cerca de 1% da população.

Como identificar um viciado em jogos

O principal sinal apresentado, é o descontrole sobre o impulso de apostar. Normalmente, também pode dizer que nunca mais apostará, mas no dia seguinte estará lá de novo.

Se uma pessoa diz que não vai apostar, mas volta para casa sem o dinheiro do salário e no outro dia pede dinheiro emprestado para jogar novamente, na esperança de recuperar, é importante ficar atento.

Em a Força do Querer, uma novela da Globo, que foi ao ar em 2017 e retornou em 2021 para uma reprise, é retratado muito bem o que acontece.

Ela não acha que é viciada, acha que joga por prazer, mas se vê entrando em várias situações, até mesmo de perigo.

Uma coisa que é preciso ficar atento com os jogos de azar é que nem sempre esses locais possuem licença para funcionar e podem ser perigosos.

Ao identificar esses comportamentos, fique de olho:

  • Mentiras são constantes, principalmente, quando a família critica o comportamento
  • Problemas financeiros
  • Afastamento de familiares e amigos que não compartilham a paixão pelos jogos
  • Não honra os compromissos familiares, sociais ou profissionais
  • Passa a não ter mais cuidado com saúde e higiene
  • Sono desregulado

O que motiva o vício em jogos?

Os homens às vezes começam a jogar muito cedo, na adolescência, por exemplo, com jogo de cartas ou sinuca. Com o passar do tempo, alguns perdem o controle e ficam viciados. As mulheres, no entanto, costumam começar a jogar para escapar de algo, situações desconfortáveis, por exemplo.

A maioria dos viciados em jogos são homens, com uma média de dois homens para uma mulher.

Como tratar o vício em jogos de azar?

O tratamento pode ser bem parecido com o para dependência química, pois também envolve atendimento médico, psicoterapia, medicação e internação, por exemplo.

Isso vai depender da primeira avaliação feita por profissionais e dos hábitos de comportamento.

Dicas para ajudar um viciado em jogos de azar

Fale com a pessoa, puxando assunto sobre os maus hábitos e converse sobre a ajuda profissional

Não faça julgamentos, precisamos relembrar que é uma doença e que não é possível controlar

Você deve ajudar, mas também não deve confiar que ela consiga enfrentar isso sozinha, acompanhe para a melhora acontecer

Não acredite que a pessoa vai melhorar rápido, pois costuma levar tempo e muitas vezes pode não ter cura, mas apenas controle

Dinheiro na mão dele tem tudo para ser vendaval, portanto, só confie quando o vício for superado.

Assim como qualquer dependência, é preciso ter bastante cuidado e aprender a lidar com as situações, mas o que você precisa lembrar sempre é que deve ajudar.

Não devemos desistir das pessoas que amamos, afinal, pode ter uma saída. Quanto mais abandonada a pessoa for, mais chances da história acabar mal.

Confira também nosso post sobre alcoolismo.

Compartilhe esse post

Relacionados

Deixe seu cometário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comece agora a mudança na sua vida

entre em contato com nossa equipe