De Mãe para filho: A síndrome da abstinência em bebês

por Tauama de Moraes
CRP 11 - 07100

O consumo de drogas ilícitas e o abuso de drogas receitadas, assim como de álcool e tabaco, pode causar muitos problemas na saúde da mulher gestante e na vida do bebê.

Um desses grandes problemas que pode vir a ser ocasionado é a síndrome da abstinência em bebês, que ocorre justamente quando, durante a gravidez, a mãe consome drogas que viciam, sejam prescritas ou ilegais.

As gestantes viciadas em drogas ou medicamentos são pouco propensas a buscar ajuda durante sua gravidez. No entanto, por não receberem cuidados médicos existe um sério risco de que o bebê nasça com abstinência neonatal.

Hoje, vamos falar sobre os principais efeitos e tratamentos das futuras mães que durante a gravidez, consomem drogas. Abordaremos como é feito o acompanhamento da mãe e nascituro, assim como também o acompanhamento de ambos após o parto.

Se você atualmente passa por esse problema ou busca salvar a vida do seu filho, neto ou sobrinho, deve continuar conosco até o fim deste artigo.

Abstinência neonatal

Existem diversas patologias que podem aparecer com o nascimento de uma criança, algumas que são facilmente curáveis, outras que necessitam de um tratamento um pouco mais intensivo.

Mas independente da seriedade e do tipo de doença, nenhuma parece se assemelhar com a denominada síndrome de abstinência neonatal. Essa doença pode até parecer surreal para algumas pessoas, mas é a realidade de muitas crianças que estão nascendo por todo o mundo.

A síndrome da abstinência neonatal ocorre quando o bebê de uma mãe que usou drogas durante a gestação nasce com sintomas de abstinência química e precisa de tratamento multidisciplinar e intensivo no sentido de proporcionar uma reabilitação rigorosa.

Sim, esse problema é bastante real e infelizmente vem se tornando bastante comum. O mesmo carece de um tratamento multidisciplinar adequado para com a mãe e nascituro para que seja evitada a morte do recém-nascido.

Causas da síndrome

Antes de tudo, é importante lembrar que nem sempre as ingestões de drogas se dão ao fato de ser um vício ou de maus hábitos da mãe, afinal, esse problema também pode acontecer devido à necessidade de um tratamento com remédios que a futura mãe precisou fazer durante a gestação.

Contudo, as drogas como anfetaminas, cocaína, maconha ou opiáceos (heroína, metadona, codeína) ou até mesmo álcool e tabaco, provocam implicações negativas para a mãe e para o bebê em gestação.

A síndrome de abstinência em recém-nascidos, também é conhecida como Síndrome de Abstinência Neonatal (SAN) e é causada com a chegada dessas drogas na placenta e, consequentemente, transmitidas ao nascituro.

Isso cria um vício para ambos, e como após o nascimento o bebê deixa de recebê-la, o mesmo passa a apresentar um quadro de abstinência pela hiperestimulação do sistema nervoso, produzida por essa ausência das drogas que até então faziam parte da sua rotina.

A síndrome de abstinência em recém-nascidos pode durar pelo período de 1 semana a 6 meses e gerar distúrbios psicológicos e clínicos. Os principais sintomas geralmente apresentados são:

  • Nascimento prematuro;
  • Perímetro cefálico pequeno;
  • Anomalias congênitas;
  • Baixo peso;
  • Problemas digestivos (diarreia, vômitos, má alimentação ou lento aumento de peso);
  • Respiração rápida, sudorese ou convulsões;
  • Irritação, choro excessivo e problemas para dormir;
  • Manchas na pele;
  • Síndrome de morte súbita do bebê (em casos extremos).

Diagnóstico 

A gravidade dos sintomas depende, é claro, do tipo de drogas que a mulher grávida tenha consumido, da quantidade, do período de tempo em que as consumiu e do tempo que o bebê foi afetado por este consumo.

Para detectar essa síndrome em bebês, a mãe deverá ser consultada sobre os fatores mencionados acima. É necessário que ela seja totalmente honesta e relate tudo que vem sendo usado, para que o problema possa ser tratado da melhor maneira possível.

Além disso, pode-se fazer exames com a urina da mãe, desta forma, avaliando os sintomas de acordo com a escala de Finnegan (um sistema de pontuação utilizado para atribuir pontos de acordo com a gravidade do paciente para determinar seu tratamento) e um exame toxicológico de urina e primeiros movimentos intestinais do bebê.

Tratamento

O tratamento será definido de acordo com o tipo e quantidade de drogas que a mãe consumiu ou vem consumindo durante a gestação.

Na primeira semana, a equipe de médicos juntamente com os enfermeiros farão um acompanhamento do estado de saúde do bebê. Eles vão analisar como o bebê dorme, a alimentação, se seu organismo trabalha de forma eficiente e se manifesta algum sintoma de abstinência. Também avaliarão o ganho de peso e o crescimento, assim como a densidade muscular.

Em uma segunda etapa, pode-se receitar uma droga semelhante a consumida pela mãe durante a gravidez e diminuir a dose aos poucos para que desacostume. Isso não é necessário em 50% dos bebês que sofrem deste transtorno.

Se os sintomas se agravarem, receitam-se drogas como fenobarbital ou clonidina para um tratamento mais extenso e progressivo.

Quanto à alimentação, assunto extremamente delicado nessa idade, são fornecidos ao bebê alimentos com mais calorias para compensar a falta de nutrientes.

Um ambiente tranquilo e preparado para lidar com todos os sintomas que o mesmo virá a apresentar, facilitará todo esse processo. Por conta disso, é recomendável que ambos estejam apoiados por uma clínica de reabilitação com preparo tanto quanto a estrutura, assim como também quanto ao seu corpo clínico, contando com médicos, enfermeiros, psicólogos.

A fragilidade da saúde de um recém-nascido não pode ser entregue nas mãos de um corpo clinico generalista, muito menos quando a mesma apresenta uma patologia tão específica quanto a que mencionamos neste artigo.

Nós da CASA DESPERTAR estamos abertos para orientar você gestante ou familiar que se interessou por esse artigo. Se você passa por esse infortúnio em sua vida, nos procure! Vamos oferecer a melhor solução para reabilitar a sua saúde e poupar o seu filho, neto, sobrinho de já nascer carregando um fardo tão pesado como o da dependência química.

Entre em contato com a nossa acolhedora equipe multidisciplinar pelo telefone 85- 3260-9074 ou através de nossas redes sociais @soudespertar e facebook.com/soudespertar.

Compartilhe esse post

Relacionados

Deixe seu cometário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comece agora a mudança na sua vida

entre em contato com nossa equipe
WhatsApp chat